• Ginger Yoga

Das relações e gostarmos que gostem de nós. 🥰

Atualizado: 14 de abr. de 2021



A natureza da mente é só uma. Estar desperta, ser ágil, volátil, capaz de elaborar cenários, levantar vôo, pensar, categorizar, discernir, decidir, julgar, opinar, e por aí fora. Mas as tendências e preferências de cada mente dependem, naturalmente, da predisposição com que cada um nasce no seu biótipo e, naturalmente, de tudo o que fazemos para cultivar durante a vida.

Ainda q todos os seres vivos procurem o bem-estar, o ser humano será aquele que conhecendo a finitude de própria vida, numa perspectiva fisiológica e mecânica - tudo o que nasce, está sujeito a morrer - é o que mais sofre com a ideia da própria morte.

Da mesma forma que o ser humano é capaz de reconhecer em si emoções, os animais ainda q as expressem, e os mamíferos nutram compaixão, não reflectem sobre elas. [Nota: num primeiro nível, é compaixão é biológica aos mamíferos, por norma, uma mãe protege uma cria - e muita discussão aqui na comunidade científica, visto não se reconhecer noutros animais, como os répteis - sistema reptiliano vem de algum lado]. A capacidade empática é compaixão.

Voltando aos seres humanos :)


Esta capacidade empática - compaixão - a começar por nós próprios, permite reconhecer as nossas próprias fragilidades e limitações, sendo naturalmente mais simples, observar isso nos outros, acomodando-os como são. Com ternura. Todos sentimos as mesmas emoções, intensidades e experiências diferentes, mas todos, em algum momento, já vivenciamos alegria, tristeza, raiva, medo, etc. A questão é confundirmos, tantas vezes, manifestações profunda e altamente enraizadas de carências afectivas e projecções de expectativas, querendo mudar os outros. E AMAR e acolhê-los como são? A incapacidade de lidar processos emocionais desafiadores p/muitas pessoas revela o tamanho do seu próprio sofrimento. Seja qual for o nosso passado, todos temos algum fantasma do sótão.

No fundo, todos gostaríamos que todos gostassem de nós, no sentido da integração, quem não gosta de se sentir integrado e acarinhado? Mesmo quem diz que não... São processos refinados do próprio ego - não adianta diabolizá-lo, ele cumpre o seu papel e ainda bem - que convém conhecer. Quem não gosta de "amar e ser amado"?️

Ilustração: Ivone

Filipa Mora

  • Ginger Yoga
  • Ginger Yoga
  • Ginger Yoga